sábado, 1 de abril de 2017

Dica para o Ensino Fundamental II - Dia do Índio/ A chegada dos portugueses ao Brasil.


Iracema- a índia de lábios cor de mel.

Em 2013, trabalhei um projeto com alunos da 8ª série (que hoje seria 7º ano) sobre Cultura Afro-Indígena.

Pensando sobre o Projeto cultura afro- indígena, lembrei-me da obra Iracema, de José de Alencar para trabalhar com a 8ª série A.

Fizemos grupos onde os alunos puderam ouvir a resenha e conhecerem um pouco deste romance indianista, expondo para os demais grupos um pouco sobre os personagens.

O objetivo foi passar aos alunos mais sentimentos em relação ao indígena, valorizando-o como marco da nossa nação. Iracema foi encontrada em terras brasileiras, juntamente com seu povo, simbolizando a beleza das terras brasileiras. Os alunos puderam perceber que Moacir (filho dos protagonistas), representa a raça brasileira, união essa que rompeu barreiras entre o branco e o indígena. Martim significa a cultura (do homem branco) e Iracema o amor pela terra (nossa terra).

Como resultado do trabalho, os alunos produziram poesias sobre a obra, criando também pinturas de Iracema e fazendo releituras de algumas pinturas indígenas.
                                                                                                   
                                            Profª Adriana Costa
  Iracema
         A obra Iracema de José de Alencar narra o trágico romance entre Iracema, a virgem dos lábios de mel, e Martim, o primeiro colonizador português do Ceará. Após um acidente Martim é recebido pela tribo dos Tabajaras, onde vivia a jovem Iracema.
          Na trama Iracema e Martim se apaixonam e fogem para viverem o amor proibido, juntos levam o guerreiro Pitiguara Poti, amigo que Martim considerava como irmão.
     Ao perceberem a fuga, os Tabajaras perseguem os amantes travando um combate sangrento ao encontrá-los. Desesperados, os três vão para uma praia deserta, na qual Martim e Iracema constroem uma cabana. Mas, passando-se alguns tempos, Martim resolve ir guerrear junto com os Pitiguaras e com seu amigo Poti, deixando Iracema grávida na cabana. Antes de Martim voltar para a tribo, Iracema dar à luz a um menino. Após o parto ela fica gravemente debilitada e acaba morrendo. Martim chega logo depois, e ao ouvir o canto triste da Jandaia (ave que sempre acompanhava Iracema), presencia a tragédia.
          Ele retorna para sua terra natal levando o filho consigo. Porém, quatro anos depois, voltam para o Ceará, onde implantam a fé cristã.

                             Fonte: marcondestorres.blogspot.com.br


Sugestão de música:


Infelizmente não tenho mais as lindas pinturas sobre a obra que os alunos fizeram e as releituras, mas gostaria de compartilhar com vocês, algumas das produções de textos criadas por alguns dos alunos da classe.                  

A vida de Iracema

Iracema, de José de Alencar,
um romance que sempre vai ficar.
Iracema, índia de pele dourada,
com sua alma “açucarada”.

Iracema, viveu um romance bonito,
Porém,  foi escondido.
Iracema chegou até ter filho,
mas não foi ao lado do seu marido.

Iracema, uma mulher dividida:
amava Martim  e sua família.
Desse amor criou-se uma guerra,
que durou algum tempo nessa terra.

Com Martim na guerra,
Iracema ficou à sua espera.
Teve uma gravidez complicada,
contudo esperada!
Veio à vida o indiozinho Moacir,
um fruto de amor, sofrimento e dor.

Ketelyn,  Thawane, Beatriz e Aline- 8ª A

  
Palavras de Martim

         “ Quando levei uma flechada,
            daquela índia...
            de cabelo preto,
            pele dourada,
            que seria minha amada..
            Senti-me enriquecido,
            pois com ela entendi o sentido:
            a diferença entre viver e estar vivo.
            Apenas por tê-la amado,
            ainda que eu tenha chorado”.

                                  Geovana, Larissa, Izabelly e Talita-8ª A

Iracema!

 Linda era Iracema!
 Índia da pele morena.
 Com seus lábios de mel,
 tinha olhos lindos como o céu.
 Um dia ela se apaixonou
 por um português que aqui chegou.
 O seu nome era Martim,
 entre os dois nasceu um amor sem fim.

 Por causa desse amor proibido,
 houve uma guerra ali na tribo.

 Mas os dois não se importaram,
 fugiram e se amaram.
 E desse amor assim,
 nasceu o menino Moacir.

 Assim que à luz ela deu,
 uma estrela lá no céu acendeu .
 Foi Iracema que morreu!


Lorraine, Luana e   Kemilly - 8ª A